Histórias que têm de ser narradas

O mundo está repleto de histórias que têm de ser narradas. Histórias que não queremos conhecer. Histórias que nos causam desconforto ou que desafiam a nossa visão do mundo. Temos uma parceria com fotógrafos NOOR para dar a conhecer estas histórias.

Quando assistimos a uma história visual poderosa deixamos de a poder evitar. Não podemos fazer de conta que não vemos o sofrimento humano ou as mudanças climáticas ou a necessidade de uma abordagem mais sustentável. E quando já não o podemos ignorar, somos incitados a agir. É por isso que estas são histórias que têm de ser narradas.

NINA BERMAN - "QUANDO A COMIDA SE TRANSFORMA NUMA COMPETIÇÃO"

"Espero que as imagens revelem algo mais profundo sobre as sociedades que são suficientemente ricas para utilizar a comida desta forma, e o que significa empanturrar-se. Não apenas com comida, mas também com bens de consumo, já que o consumo é elogiado na nossa cultura, mas no final, acabará connosco."

ANDREA BRUCE - “UMA PALAVRA DESCONFORTÁVEL: SANEAMENTO”

“O saneamento e a defecação ao ar livre são, naturalmente, assuntos delicados. São algo de que a maioria das pessoas não quer falar, muito menos deixar que alguém o documente. E é por esta razão que o problema é tão grave. Ninguém fala do assunto.”

YURI KOZYREV - “SOBRE A CRISE DE MIGRAÇÃO EM MASSA PARA A EUROPA”

“Ao efetuar reportagens sobre a crise dos refugiados, os jornalistas estão a ajudar a dar uma identidade aos migrantes. Estamos a ajudar a remover a perceção de que as multidões são uma ‘ameaça sem nome’ a chegar às costas europeias.”

FRANCESCO ZIZOLA - “COMO SE FÔSSEMOS ATUM”

“Com ‘Como se fôssemos atum’ eu quis criar um percurso narrativo que fornece uma visão complexa sobre o método tradicional e sustentável da pesca do atum. Tenho interesse em sugerir uma metáfora do eterno conflito entre homem e natureza - uma reflexão sobre a arrogância do ser humano.”